BARBARA STANWYCK EM STELLA DALLAS (1937)

Barbara Stanwyck começou sua carreira no final do cinema mudo, participando de filmes sem grande repercussão, sua carreira como atriz realmente começaria, ao ser escalada por Frank Capra para o filme "A Flor dos meus Sonhos" (Ladies of Leisure) de 1930. Juntos fizeram diversos filmes dramáticos que trouxeram Stanwyck para um patamar acima de atuação. Ela então, passou a ser notada pelos diretores e pelo público. Em 1933, sob direção de Alfred E. Green, estrelou "Serpente de Luxo", um de seus maiores êxitos de início de carreira. Mas seria em 1937, ao estrelar "Stella Dallas", que Stanwyck entraria para o grande hall de atrizes dramáticas e competentes e assim manteve-se por muitos anos. Graças ao seu desempenho tocante, ela foi indicada pela primeira vez ao Oscar.

Em "Stella Dallas", sob direção de King Vidor, Stanwyck interpreta a personagem título, uma mulher de diversas camadas durante todo o filme: começa como uma mulher ambiciosa e apaixonada, depois passa por uma mulher casada e entediada, uma mãe devotada à filha, uma mulher que não abre mão de ser quem é e por fim uma mãe que sacrifica o convívio com sua filha para não vê-la passar por humilhações sociais.

No início do filme, Stella, filha de um operário e de origem pobre, apaixona-se por Stephen Dallas (John Boles), executivo de uma fábrica. Stephen é um homem vindo de uma família rica que acabou perdendo tudo, na miséria, seu pai acaba se suicidando e isso gera um escândalo, fazendo com que ele vá viver em um outro lugar longe das fofocas e dos comentários maldosos. Por causa desse escândalo, seu casamento com Helen (Barbara O'Neil) não se concretiza.

Stella acaba fisgando Stephen e eles se casam. Até então vivem um casamento feliz, onde Stephen aceita Stella do jeito que ela é. Após algum tempo nasce a filha do casal, Laurel e então Stella torna-se uma mãe devotada, embora cometa algumas falhas de acordo com os valores morais e sociais. Stephen, que de certa forma nunca se conformou em perder o status social, torna-se um homem disposto a recuperar o dinheiro e o prestígio e como Stella não se esforça em acompanhá-lo, o casamento entra em crise. Até então o jeito de ser de Stella, considerado vulgar pela sociedade, não incomodava Stephen, mas quando ele decide tentar uma nova ascensão social, ele percebe que isso será um empecilho. A amizade de Stella com Ed Munn (Alan Hale) também é um fator decisivo para o afastamento de Stephen.

Com o afastamento de Stephen, que vai trabalhar em outra cidade, Stella passa a cuidar de Laurel praticamente sozinha. Os anos se passam e Laurel (Anne Shirley) torna-se uma linda garota e começa a atrair os olhares dos rapazes. Stella então, passa a ambicionar um futuro melhor para sua filha e passam a frequentar alguns lugares da alta sociedade para que Laurel possa ser percebida, porém o jeito de ser de Stella, torna-se chacota nas rodas de conversa e Laurel acaba ouvindo esses comentários maldosos. Enquanto isso, Stephen reencontra Helen, agora viúva e com filhos e decidem reatar o romance, mas para isso é necessário o divórcio entre Stephen e Stella.

Stella acaba descobrindo que Laurel é ridicularizada por ser sua filha, mas ao mesmo tempo não abre mão de ser quem é e então ela toma a decisão mais amarga de sua vida: procura Helen e pede para que ela cuide de Laurel, pois só assim ela seria aceita pela alta sociedade. Helen se compadece de Stella e promete fazer sempre o melhor por Laurel. Stella então causa uma intriga que faz com que Laurel decida morar com Stephen e Helen. Laurel então, ao lado de sua nova família, passa a ser aceita pela alta sociedade e acaba se apaixonando por um jovem rapaz e marcando seu casamento. E então o filme caminha para um dos finais mais emotivos e chorosos de todos os tempos, graças à atuação comovente de Barbara Stanwyck. Por seu desempenho, ela recebeu sua primeira indicação ao Oscar na categoria de Melhor Atriz. Anne Shirley recebeu uma indicação na categoria de Melhor Atriz Coadjuvante.

"Stella Dallas" é baseado em um livro homônimo escrito em 1923 por Olive Higgins Prouty, que escreveu outro livro que rendeu uma adaptação cinematográfica famosa: "Now, Voyager" (A Estranha Passageira), estrelado por Bette Davis em 1942. Em 1925, foi produzida a primeira adaptação cinematográfica de "Stella Dallas", adaptada por Frances Marion e dirigida por Henry King, essa versão contou com Belle Bennet no papel título e Ronald Colman como Stephen Dallas. Em 1990, uma nova versão chamada "Stella" foi produzida e trouxe a cantora e atriz Bette Midler no papel principal. 


"Stella Dallas", foi lançado em uma edição especial com 4 filmes da atriz Barbara Stanwyck que conta com minha curadoria, pela Obras-Primas do Cinema. Clique na imagem abaixo para conhecer a coleção ou comprá-la:

Comentários

Mais Visitados