OLGA PREOBRAZHENSKAYA - A PRIMEIRA CINEASTA RUSSA

Olga Preobrazhenskaya é considerada a primeira mulher a dirigir filmes na Rússia. Como ocorreu em Hollywood, diversas mulheres no mundo todo que contribuíram para o início do cinema, tiveram seus nomes apagados posteriormente. Olga foi uma dessas vítimas, ela passou anos na obscuridade, até ser redescoberta.

Olga nasceu em 24 de julho de 1881 em Moscou, começou sua carreira, como atriz nos teatros. Em 1913 ela faria sua estreia como atriz no cinema russo, chegando a protagonizar uma versão silenciosa de "Guerra e Paz" (Война и миръ) em 1915. Em 1916  estreia como diretora no filme "Jovem Camponesa" (Барышня-крестьянка), considerado perdido. Ela dirigiu o filme ao lado de Vladimir Gardin.

Entre 1918 e 1925, dedicou-se a dar aulas de cinema e atuação. Em 1923, formou-se na Escola de Teatro e Arte de Moscou, sendo contratada pelo estúdio que hoje é a Mosfilm. A partir de 1927, dirigiria filmes ao lado de Ivan Pravovy, juntos firmaram uma parceria duradoura e produtiva. Ainda em 1927, Olga dirigiu ao lado de Ivan, o filme que lhe imortalizaria nos primórdios do cinema: "As mulheres de Ryazan" (Бабы рязанские).

"As mulheres de Ryazan" é uma dolorosa história de uma moça que apaixona-se por um rapaz que acaba sendo convocado para a Guerra e com a ausência dele, acaba sofrendo investidas do pai do rapaz e consequentemente acaba sendo estuprada por ele e engravidando. Ao dar a luz, ela passa a ser hostilizada por algumas mulheres da família que a culpam pelo estupro. Quando seu amado retorna da Guerra e a encontra com um filho que ele sabe que não é seu, a situação piora.

Produzido em 1927, esse filme além de ousado pela temática, infelizmente continua atual pelo fato da mulher por muitas vezes ser considerada culpada quando sofre qualquer tipo de violência sexual. Além de ousado, "As mulheres de Ryazan", também fugia do padrão dos filmes produzidos. Os filmes do cinema soviético em sua maioria eram produzidos com a finalidade de propaganda política. Olga e Ivan faziam questão de produzir filmes em que as mulheres eram protagonistas e sempre voltavam-se para a situação difícil dos camponeses.

Sua carreira como diretora, encerrou-se em 1941. Além de dirigir, ela chegou a produzir alguns roteiros dos filmes que dirigiu ao lado de Ivan. Ela faleceu aos 90 anos em 31 de outubro de 1971.

Dedico este artigo ao meu amigo do Facebook, Paulo que fez com que despertasse minha curiosidade em pesquisar e escrever sobre essa pioneira, cujo filme "As mulheres de Ryazan" me tocou profundamente quando o vi pela primeira vez anos atrás.


Comentários

Mais Visitados